• admin
  • Economia
  • Nenhum comentário

[ad_1]

Sob Jair Bolsonaro, coisas muito estranhas sucedem em Brasília. Nesta terça-feira, 13 partidos juntaram-se num manifesto para dizer que, com um par de ajustes, estão dispostos a aprovar a reforma da Previdência. Unidas, essas legendas somam 291 deputados. Juntando-se a esse contingente os 55 deputados do PSL, partido de Bolsonaro, chega-se a 346 votos —38 além dos 308 necessários à aprovação da emenda previdenciária.

Quem observa à distância pergunta de si para si: Ora, se 67,4% dos 513 deputados declaram-se pró-reforma porque diabos não votam? A resposta é tão simples quanto desconcertante: falta acertar o preço dos votos. Como de hábito, os parlamentares querem cargos e nacos do Orçamento da União. Em plena era da Lava Jato, há na praça congressistas com código de barras na lapela.

Egresso do baixíssimo clero da Câmara, o capitão oferece um balcão magro. Concorda em liberar as emendas orçamentárias, pois elas são “impositivas”. Quanto aos cargos, oferece poltronas federais de quinta categoria nops Estados. Mas exige que os nomes passem por uma câmara de higienização apelidada de “banco de talentos.” Nela, a palavra final sobre as escolhas é dos ministros, não dos congressistas.

De bem com os habitantes da bolha em que escolheu viver nas redes sociais, Bolsonaro dá de ombros para a chiadeira sobre a “falta de articulação política” do seu governo. E a bancada potencialmente governista dedica-se a sabotar a reforma que diz apoiar. Nesta terça-feira, o ministro Paulo Guedes iria à Comissão de Justiça da Câmara. Informado de que a banda pró-reforma boicotaria a reunião, deixando-o a sós com os oposicionistas, Guedes desistiu.

A exposição de Guedes à comissão foi adiada para a próxima semana. Supõe-se que, até lá, os ânimos estarão serenados. Será? Bolsonaro não parece estar preocupado. Nesta terça-feira, enquanto o “pau comia”, na definição de Guedes, o capitão foi ao cinema com a primeira-dama Michelle.

[ad_2]

Source link

Author: admin

Deixe uma resposta

dois × 5 =